quinta-feira, 15 de julho de 2010

Garçom,novas histórias.Por favor! (Jackeline Aguiar)


É isso gente, cansei. Depois de um tempo sumida percebi que estou absurdamente cansada. Não quero mais essa vida. Eu não preciso de ninguém para me completar ou me fazer feliz, mas eu tenho o livre arbítrio e eu quero alguém, posso?
Percebi que minha ausência nada tem a ver com a falta de histórias ou minha capacidade de transformar banalidades em momentos cômicos, eu continuo a mesma, só que agora, estou cansada.
Na última quinta-feira fui a um show de uma banda que toca música eletrônica (reflitam) e estava muito empolgada. Era véspera de feriado, eu tinha um vestido preto lindo que nunca tinha usado e a minha bebida preferida ice vinha em dose dupla até a uma da manhã, por isso, por volta de meia-noite e cinqüenta e cinco eu não sabia mais quem eu era.
Uma das minhas amigas se interessou por um tipinho a la Vin Diesel, que me causou náuseas pela forma como a olhava. Era como se ela fosse um pedaço de carne e ele um cão faminto há dias, melhor, semanas. A outra (amiga) se enfiou na chapelaria para fazer as honras da casa com outro tipinho e quando vi que ia sobrar para mim, corri para o banheiro. Ao sair percebi que a porta estava emperrada e somando o barulho infernal do lugar, achei que morreria lá. Desisti de gritar e fazer força, abaixei a tampa, sentei no vaso e comecei a pensar sobre aquela noite.
As pessoas têm uma idéia errada de que curtir a vida, ou pelos a solteirice, é somente estar num lugar cheio de pessoas estranhas, com muito álcool na cabeça e que tocam seu corpo como se estivessem em uma degustação. Gostou? Não? Ah ok. Próximo, por favor!
Sempre que chego em casa e deito na cama enquanto a cabeça roda, os olhos pesam e os pés doem, penso na inutilidade daquela noite. Não sei se é um que de “estou ficando velha” ou “há mais de dez anos vejo este filme e já deu né?”, ou quem sabe os dois, mas acho que cansei.
Podem me dizer que o importante é a diversão, é compartilhar bons momentos na companhia de alguns amigos e o melhor uísque (ou não) da casa, mas acho que à partir de certa idade, a maioria das mulheres que estão nestes locais tentam disfarçar os olhos de desespero enquanto procuram por alguém para suprir sua carência por, pelo menos, uma noite. Elas desejam secretamente que eles peçam o número do telefone e que prometam ligar no dia seguinte, assim poderão voltar para casa com um pouco mais de fé no amor.
Percebe-se que fiquei um tempão no banheiro. Quando finalmente decidi tentar novamente, fiz tanta força para abrir a porta que machuquei feio a mão e agora toda vez que olho para o curativo me lembro do quão cansada estou.
Não que eu vá necessariamente namorar, me casar ou qualquer coisa parecida. Só acho que tenho que me adaptar a um “estar solteira” que faça mais sentido na fase em que me encontro, entende?
Amadureci com meus relacionamentos mal sucedidos e sei exatamente o que quero e do que preciso. Por exemplo, não quero me casar amanhã, mas também não quero ser prensada em uma parede, num lugar qualquer, por alguém que no dia seguinte nem lembrará meu nome.
Fiz algum sentido?

5 comentários:

Suzy Carvalho disse...

mto legal aqui :)

NFD disse...

Adorei o blog e o texto...
concordo plenamente, principalmente qnd vc diz q QUER alguém, não q precisa.

NFD disse...

*Quando ela diz
^^

Patrícia Proença disse...

Sabem...eu adorei esse texto.
E já senti exatamente tudo isso.Eu tive um namoro de 10 anos e quando me separei tudo estava tão diferente,foi bem dificil,mas logo eu me acostumei com as festinhas e coisa e tal...mas em menos de um ano eu já não suportava mais.
Bom...ai eu casei!hehehe
Sei lá acho q tem pessoas q preferem estar badalando?Eu...gosto é de estar junto,de ter alguém certo pra compartilhar de tudo!Estar feliz,isso é o q importa.

Andresa disse...

É a pura verdade... Quando amadurecemos coisas desse tipo não fazem mais nenhum sentido. Há idades para todas as coisas, e cada vez mais as mulheres são tratadas como objetos descartáveis. Pior que há, quem se sujeite a isso! É triste, mas real!

*Viu Patrícia, é claro que pode postar aquele texto aqui sim... Sinto-me honrada! Bjssss